em Miscelânea, Pessoal

Existem momentos de nossas vidas que começamos a avaliar as coisas. Todas as coisas. E não estou falando de “resoluções de ano novo” (que nunca começam de verdade), mas de profundas avaliações internas, reflexões sobre nossas atitudes e sentimentos, o nosso posicionamento durante a vida. Isso geralmente ocorre em momentos de ruptura, de evolução natural ou “natoral”, sustos, baques, experiências muito fortes ou com a idade e a maturidade. Acho que o ser humano tem algum gatilho que dispara essas consolidações do meio pro fim da vida (será que a gente sente a “hora” chegando? haha).

Eu já tive vários desses momentos. Muitos. Talvez mais que a média, talvez nem tanto, mas pessoalmente me considero alguém que pensa demais em sua própria existência e na influência dela no universo e nas pessoas ao redor. E ultimamente esses pensamentos aumentaram (hmmm hora chegando?).

Uma das coisas que me cutuca desde os meus 30 anos diz respeito a realizações. Accomplishment. A tal sensação de “missão cumprida”. Ou, para muitos, a definição de “SUCESSO”.

O que é sucesso para você?

No contexto de Desenvolvimento Ágil, existe uma atividade antes de começar algum projeto chamada Inception, cujo objetivo é fazer com que todo o time tenha uma visão única do que vai ser feito (e mesmo SE vai ser feito, mas isso é papo pra outra hora). Dentre as dinâmicas realizadas, uma delas é a definição dos critérios de sucesso. O bacana nessa dinâmica é perceber que cada projeto tem seu critério de sucesso definido, mesmo dentro de um mesmo produto, mesmo cliente.

Tenho me entristecido bastante ao perceber o quanto essa definição de sucesso atualmente está pasteurizada. Tá, tudo bem, pode ser que ela já esteja assim há muito tempo e eu só tenha percebido agora, ou simplesmente a Internet facilitou essa percepção. O lance é que existe uma espécie de mola mestra ditando o sucesso pessoal e muita gente está comprando isso, buscando esse ideal e associando sua felicidade a isso. E cada vez mais cedo (mais jovens) as pessoas sedimentam esse ideal:

Ganhar muito dinheiro sem esforço

1429037342_success-kid-meme-lgEu vejo isso nos olhos e na mente de pessoas dos mais diversos círculos. Diferentes o suficiente para não associar a grupos específicos. Tem gente que até se aproveita disso para “ganhar dinheiro sem esforço”, ao vender a ideia de que é possível ganhar dinheiro fácil, bastando vender a ideia de que é possível… sacaram o loop, não é? É praticamente uma pirâmide financeira, só que ideológica.

Os modelos, cada vez mais celebrados nas redes sociais e replicados pela mídia, são muitos. Tem gente que espera ter uma ideia milionária e vender para alguma empresa que realmente queira trabalhar nela. Há quem deseje ganhar dinheiro se divertindo (esportes, games, viagens, vídeos na Internet). Tem também os que já possuem dinheiro (herança, por exemplo) e queiram viver de renda. E tem quem estude para passar num concurso público e não precisar mais “trabalhar tanto”. O “problema” com a grande maioria desses modelos é que, para se dar bem, é preciso trabalhar muito.

O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho, é no dicionário.
Albert Einstein

Olha que contradição, não é?

A pessoa romantiza tanto determinada atividade que acha que ser profissional naquilo e poder fazer uma carreira, não exige esforço, apenas “sorte” e “criatividade”. Um bom canal de vídeos no YouTube, por exemplo, exige muito planejamento, dedicação, conhecimento técnico, bons equipamentos, suporte e às vezes bastante dinheiro para virar referência e começar a ganhar dinheiro. Um skatista ou surfista que ganha a vida com seu esporte predileto não fica de prega até rolar uma competição. Ele precisa treinar muito, correr atrás de patrocínio, estudar novas manobras, tentar quebrar seus próprios limites o tempo todo. Faça chuva ou faça sol, esteja saudável ou gripado, tenha ou não uma namorada, comprimissos, festas da família. Viajar então, só tem ralação. Alguém precisa bancar aquelas fotos lindas no Instagram.

Não me entenda mal, existem alguns casos em que as pessoas fazem dinheiro sem realmente trabalhar pra isso. Mas isso se não for resultado do trabalho duro de outras pessoas, é um fenômeno raro resultado de uma combinação astral de bunda virada pra lua com oportunidade perfeita. Só acontece quando o cometa Halley se aproxima da Terra.

E qual o resultado disso?

Frustração. A pessoa persegue um ideal de sucesso e felicidade que exige dedicação, sem o devido preparo ou informação de que isso seria necessário, não consegue e se frustra. Se considera um fracasso e vira mais um infeliz. Isso quando não entra em roubadas que prometem dinheiro fácil e são na verdade algum golpe ou crime.

O pior é que raramente vemos alguém falando sobre o trabalho necessário para realizar esses ideais. A mídia propaga ideias de “blogueiros milionários”, “nômades digitais”, “empreendedores jovens de sucesso”, “webcelebridades” como se fosse fácil e altamente lucrativo. Boa parte das vezes a própria pessoa romantiza isso, posta fotos sensacionais de lugares super descolados ou paradisíacos, para manter aqueles seguidores que se espelham nessa vida e com isso conseguir – às vezes apertado – pagar as contas de casa (porque as viagens e festas são gratuitas, as roupas e carros emprestados, os celulares brindes). Como criticá-las? Elas também seguiram um modelo ideal e estão ali, tentando ganhar seu lugar ao sol, atingir seu sucesso prometido.

Não existem fórmulas secretas de sucesso. Você precisa entender o que te faz ou te faria feliz e perseguir esse ideal, de forma dedicada. Talvez uma forma de evitar frustrações seja evitar ter apenas um critério de sucesso. Pense: o que te faria feliz dentro dos próximos 2 anos? 12 meses? Estabeleça o critério e trace um plano (ou vários) para realizá-lo. Várias possibilidades te fariam feliz? Que ótimo! Trace mais de um plano e tente tocar em paralelo (spoiler: geralmente exige muito mais esforço e leva mais tempo ter mais de um objetivo a ser alcançado ao mesmo tempo).

Ah! Seu objetivo de vida é viver viajando, só curtindo sem trabalhar, vendo o dinheiro entrar na conta para todas as suas necessidades e você não nasceu em berço explêndido? Bom, boa sorte com a próxima vinda do Halley.

Textos que você também pode gostar